Por que não ensinam sobre empreendedorismo na escola?

Por que não ensinam sobre empreendedorismo na escola?
  • 2 de maio de 2021

Quem é empreendedor sabe como seria bom se existisse um meio mais prático e direto de fazê-lo. Ver os resultados positivos acontecendo por iniciativa própria é realmente muito bom. Mas alcançar esse estágio é um caminho que não se percorre do dia para a noite.

O mais comum é que o jovem empresário erre muitas vezes sobre vários assuntos até começar a entender de que forma é possível fazer do empreendedorismo sua principal e bastante rentável fonte de renda.

E muitos desses erros poderiam ser evitados se pudesse ser ensinado sobre empreendedorismo na escola.

Ou seja, se na base educacional das crianças alguém pudesse lecionar a respeito de alguns princípios ou sobre pontos básicos da vida de quem deseja atuar em negócio próprio.

Mas essa não é a realidade do ensino no Brasil, nem para escolas tampouco para faculdades.

Pode parecer contraditório mas nem num curso como administração, por exemplo, a grade curricular é voltada para o desenvolvimento do pensamento próprio. E as consequências dessa deficiência desencadeiam uma série de falhas em todo o sistema.

Para saber um pouco mais do porquê não ensinam sobre empreendedorismo na escola, continue a leitura deste artigo.

Uma breve análise sobre o assunto

Os motivos que levam o ensino no Brasil a não investir na formação de empreendedores rendem uma longa discussão.

São diversos os fatores responsáveis por influenciar o pensamento dos seres humanos em formação.

A verdade é que o empreendedor de sucesso se forma por conta própria, independente da maneira que é ensinado em escolas e faculdades: ele aprende com os erros, evolui com seus acertos e ainda repassa de maneira prática o conhecimento adquirido para os iniciantes no assunto.

Porém, enquanto alguns governos acreditam que seria mais vantajoso manter a sociedade no molde que vem sendo cultivado há muitas gerações, muito se perde por não estimular outra forma de aprendizado.

Ensinar sobre empreendedorismo na escola seria o mesmo que desenvolver nas crianças habilidades inerentes da atividade empresarial. Por sinal, são as mesmas que contribuem para a evolução da sociedade como um todo.

Poder de liderança e resiliência, por exemplo. E uma das que sem dúvidas mais contribuiriam para o surgimento de um novo pensar seria a capacidade de materializar e fazer acontecer alguma ideia ou sentimento, por mais inusitado que seja.

Não foi dessa forma, afinal, que surgiram as invenções mais importantes da humanidade?

Os brasileiros estão desde pequenos acostumados com a forma de aprendizado que não lhes permite enxergar as milhões de possibilidades que a vida e o futuro lhe reservam.

E mesmo para aqueles que, no final das contas, decidissem por carreira pública ou pela estabilidade de um cargo regular em alguma empresa, as vantagens seriam muitas. Se fosse ensinado sobre empreendedorismo na escola certamente teríamos funcionários mais responsáveis, dedicados, criativos e proativos.

Consequências de não ensinar sobre empreendedorismo na escola

Primeiro

De uma forma geral, é mais interessante para grandes líderes políticos não ensinar sobre empreendedorismo na escola. A intenção é que a população não desenvolva poder de senso crítico e de “pensar fora da caixa”.

Essas características colocariam em risco seu poder de governar e suas chances de reeleição.

O pensamento é mais ou menos o seguinte: por que investir no desenvolvimento das pessoas e comprometer minha fonte de renda se eu posso manter essa linha de raciocínio e permanecer no poder?

Segundo

Ao ensinar sobre empreendedorismo na escola, o desenvolvimento e até mesmo o surgimento de determinadas habilidades transformariam tais crianças em adultos muito mais comprometidos com a coletividade do que preocupados apenas com si próprios.

O hábito de estimular a própria capacidade de raciocínio faz com que as pessoas passem a entender que a sociedade acontece em conjunto.

Ou seja, é inútil querer sempre todos os benefícios apenas para si e não dar o devido valor ao que se pode conquistar e dividir com outras pessoas (afinal, isso é empreendedorismo!).

Terceiro

Acredita-se que a veia empreendedora já nasce no ser humano. E esse é o típico pensamento de um povo que não possui grandes oportunidades nesse sentido.

Se fosse ensinado sobre empreendedorismo na escola saberiam que é possível criar a própria realidade através do aprendizado teórico e prático.

Ter o próprio negócio é uma atividade muito desafiadora, sendo preciso driblar constantemente uma série de empecilhos e estar constantemente adquirindo novas habilidades e diferentes características de personalidade.

Infelizmente, o país não caminha para que seja ensinado sobre empreendedorismo na escola. No fim das contas, somos nós mesmos que perdemos (ou deixamos de ganhar) com tudo que poderia ser desenvolvido.

Se você gostou deste artigo e deseja saber mais, entre em contato com a nossa equipe. Tire todas as suas dúvidas sobre empreendedorismo na escola.

Mantenha-se sempre bem informado assinando gratuitamente nossa newsletter para receber a atualização de conteúdo.

Diego Reis

Fundador e CEO do Banco Afro.

Deixe o seu comentário